SECÇÃO: Actualidades


Homem que violava filhas do patrão entrega-se em Pinhel

Pressionado pelo empregador - que entretanto descobriu a conduta do caseiro e o despediu -, o indivíduo deslocou-se ao posto da GNR de Freixedas e contou às autoridades que há seis anos vinha mantendo contactos sexuais com as filhas da família proprietária da quinta onde trabalhava há cerca de uma década.

As jovens têm hoje 14 e 16 anos.

O homem confessou também que, no último ano, violou ainda uma prima das vítimas, agora com 12 anos. Segundo o pedófilo confesso, os abusos aconteciam sempre que as menores iam à referida propriedade e passavam fins de semana ou férias na quinta.

O comportamento do homem - que entretanto já foi constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência (TIR) -, nunca terá sido alvo de suspeitas até ao momento em que a sobrinha do patrão deixou de querer estar na quinta. Os pais da criança estranharam e, depois de a questionarem, perceberam que tanto a filha como as sobrinhas eram abusadas pelo mesmo caseiro.

Foi então que o agressor, confrontado com a descoberta, se entregou e surpreendeu os guardas com a confissão. De seguida, a GNR enviou uma patrulha à quinta e obteve a confirmação dos crimes sexuais que o homem confessou.

O caso passou então para a jurisdição da PJ que entendeu não deter o indivíduo por estar já afastado das vítimas e já não representar perigo para as mesmas. Por cada um dos crimes de abuso sexual de crianças, o arguido pode vir a ser punido com penas de entre um e dez anos de cadeia.